maio 08, 2013

Diário de Viagem: Tailândia


Esta foi, até ao momento, a viagem que mais trabalho me deu a organizar e que valeu bem a pena. As agências vendem pacotes que incluem 7 ou 12 dias em Bangkok e Phi Phi/ Phuket por preços a rondar os 1200 a 1500 euros por pessoa, que apenas incluem o hotel e as deslocações. Pois posso dizer que com esse dinheiro fiquei 20 dias na Tailândia, conheci o país de uma ponta à outra, comi, bebi e ainda sobrou!
Este é um país que compensa bastante visitar por conta própria. Se quizer poupar como eu leia o relato da viagem e tome nota das dicas e das boas e más experiências que tive.


23 de Novembro de 2012
Dia 1, Bangkok/ Khao San Road

Foram longas as 20 horas que nos separavam da Tailândia, mas por fim chegámos a um país surpreendente que me deixou apaixonado desde o primeiro minuto.
À chegada ao aeroporto de Survanabhumi, e já no terminal dos transportes públicos, deparámo-nos com uma multidão de pessoas a tentar impingir-nos táxis e carrinhas a preços pouco convidativos. O truque (que não é nenhum truque é mais um facto) é escapar-nos sorrateiramente e dirigir-nos para a saída onde estão os táxis do "governo" com taxímetro e preços mais justos. Nunca entre num táxi sem ter combinado o preço previamente ou que se recuse a usar o taxímetro. Digamos que o preço justo para chegar ao centro da cidade andará à volta de 400 THB ( 10€ ) e é a melhor opção para quem viaja acompanhado e se encontrar alguém para dividir a despesa ainda melhor.
Existem outras opções para chegar ao centro da cidade mas são meios de transporte muito desconfortáveis e perderia muito tempo no primeiro dia. Os transportes públicos na Tailândia são muito antigos e pouco fiáveis como iremos verificar mais à frente.

Cerca de 1 hora mais tarde chegávamos ao destino, a Khao San Road, uma espécie de meca para os turistas "bag packers". Muita loucura muita animação, uma rua que se popularizou ainda mais depois do filme "A Praia" com Leo di' Caprio. Desde roupa contrafeita, falsos documentos de identificação (inclusive diplomas de Harvard!!), massagens, prostituição, bares, restaurantes, comida de rua.., enfim! Esqueça tudo o que já conhecia e abra espaço a novas experiências, este é o sítio certo. Certamente outras pessoas preferem zonas mais nobres da cidade, mas o que é certo é que este é o local melhor situado para conhecer a cultura Thai a um curto espaço dos templos mais famosos, que poderá visitar a pé economizando muito dinheiro.

Não abuse do Pad Thai (prato popular que incluí noodles ou arroz com diversos vegetais e carne) logo no primeiro dia, é um conselho! Ao fim de várias semanas vai ficar bem farto deste prato. A comida de rua é muito barata, um prato de pad Thai custa em volta de 40 THB (cerca de 1 €). Prove também os populares insectos, se for capaz! Muita fruta boa à sua disposição e sumos de se babar por mais também a preços ridículos. Se anseia por uma massagem Thai aproveite, pois mais barato do que aqui não encontrará. Dizem que as tatuagens aqui são mais baratas mas não achei assim tanta diferença. Tenha cuidado com os Lady Boys (se quizer) pois alguns são muito bonitinhos e parecem autênticas mulheres, mas não se esqueça que vêm acompanhadas com um "brinde"! Ah! Quase me esquecia! Ignore por completo aquelas pessoas irritantes que lhe querem vender fatos à força. Quem iria pensar num fato debaixo daquele calor impressionante??? Nem se dê ao trabalho de dizer que não está interessado pois eles são mais insistentes do que nós.

À noite fomos para a animação com muita cerveja barata (por volta de 80 THB por 600ml) e muita música com sotaque Thai (quase não se percebe nada). Se quizer cerveja mais barata vá a um supermercado "7 Eleven". As marcas melhores são a Leo, a Singha e a Chang.

Se não reservou as excursões na internet, pode visitar as várias agências espalhadas pelas ruas e comparar preços. Eu decidi-me por visitar apenas o mercado flutuante de Damnoen Saduak (o melhor). Mas nos dias que tiver em bangkok pode ver muito mais (veja aqui alguns exemplos). Cheguei à conclusão que os preços são muito mais baratos nas agências locais, em alguns casos cerca de metade!


24 de Novembro de 2012 
Dia 2, Bangkok/ Mercado flutuante de Damnoen Saduak

O mercado flutuante (ver aqui ao pormenor ) apresenta um cenário bastante pitoresco. É como uma espécie de Veneza repleta de canais a abarrotar de pequenos barcos. Os produtos são comercializados tanto nas margens como a bordo dos próprios barquinhos (apelidados de long tails).
Por 150 THB temos a oportunidade de entrar num desses barcos e dar uma volta pelos canais onde podemos comprar umas bugigangas. Compre um chapéu, bem vai precisar pois o calor é insuportável!
No final da visita está incluído um passeio de barco a motor pela cidade. É muito interessante ver o modo de vida destas pessoas com costumes bem diferentes dos nossos. Só tive pena do rio. Deu para perceber que é ali que lavam a louça e que tomam banho, apesar de também ser ali que despejam o lixo como tive a oportunidade de constatar.
Na parte da tarde já estávamos de volta à suja e barulhenta cidade de Bangkok.

A uma curta distância do hotel temos os monumentos mais importantes da cidade. Poderá fazer todo o percurso a pé como eu, ou usando os barcos localizados nas margens dos rios. Não deixe de visitar o Palácio Real que inclui o famoso Templo do Buda de Esmeralda e o Templo do Buda Deitado (Wat Pho).
Muito cuidado com os pretensos "guias" que o irão abordar tentando vender bilhetes para os templos ou arranjar transportes nos "Tuk-Tuks" (triciclos motorizados, tipo táxi que cobram preços exorbitantes). Os bilhetes compram-se à entrada dos templos, ponto final! Não vale a pena ir de tuk-tuk até aos templos, a não ser que não aguente a pedalada, aí tudo bem. Mas negocei bem os preços.

25 de Novembro de 2012 
Dia 3, Bangkok/ Continuação da visita aos templos/ viagem para Chiang Mai

Neste dia, e depois de uma noite animada, visitámos os mercados pelas ruas e demos fomos de barco turístico (os públicos bem mais baratos) pelo Rio Chao Praya até ao templo de Wat Arun, o Templo do Amanhecer. Fantástico.
Passámos o dia a conhecer a cidade e mais tarde apanhámos o autocarro 53 que nos levaria à estação Hualamphong onde o comboio n.13 nos aguardava.
O próximo destino seria Chiang Mai no norte da Tailândia, uma cidade perto das montanhas, cheia de tradição e actividades para fazer. O ponto alto dessa deslocação seria o festival Ypeng, famoso pelo lançamento de lanternas voadoras.

Já a bordo do comboio n.13 ( que "aventura"..!), encontrámos um "tuga" que também segui para Chiang Mai. Não deixa de ser notável que a todo o lado que vou, seja onde fôr, sempre acabo encontrando portugueses. Fizémos logo amizade e passámos a longa viagem toda a falar e a tirar fotos.
Realmente o comboio, por si só, já é uma verdadeira atração. A paisagem entre bangkok e o norte é muito bonita, praticamente só se vê campos de arroz e pequenas aldeias.
Também fizémos amizade com os membros da tripulação que são pessoas bem simples e muito simpáticas que trabalham em condições deploráveis. A cozinha, o restaurante e os dormitórios do pessoal apresentam condições desumanas. Um ambiente sujo, obsoleto e decrépito, mas é claro que para nós, ocidentais, é como ir ao circo. É um cenário pitoresco! Já agora o WC.., se é que lhe podemos chamar isso, faz qualquer portuga antinacionalista chorar por Portugal!

Decidi escolher a viagem de comboio em detrimento do avião por algumas razões. Em primeiro lugar é muito mais barato. Enquanto que um bilhete de avião pode custar até 200 euros, um bilhete de comboio em 2ª classe custa 20 euros e em 1ª classe 30€. A viagem pode ser feita à noite o que o fará economizar em estadia e tem a vantagem de não perder um dia em viagem, já que o percurso decorre durante a noite. Para além da experiência muito interessante. Se não tem estômago para isso esqueça! Os bilhetes em 3ª classe são ainda mais baratos mas não o recomendo nem aos cães. O ar condicionado é essencial! Dormir de janelas abertas com as ventoinhas ligadas é praticamente impossível.


26 de Novembro de 2012 
Dia 4, Chiang Mai

Chegámos com quase 2 horas de atraso! De facto, como eu disse anteriormente, os transportes públicos na Tailândia não são fiáveis. O melhor é planear as coisas contando já com várias horas de prejuízo.
Os funcionários do guest house foram nos buscar à estação como programado, assim mais uma vez tudo correu dentro do planeado.
A cidade que imaginava ser pequena e confinada dentro de uma muralha, é afinal a segunda maior cidade da Tailândia. A parte amuralhada é apenas a zona antiga que, há muito, já passou dessa barreira e se estendeu mais além.

A parte histórica pode ser visitada a pé pois tem 1,5 km quadrados. Apresenta um ambiente muito mais turístico.As pessoas são muito simpáticas e a cidade é muito mais limpa, tem melhores estabelecimentos, boa comida, bons mercados, só lhe faltava mesmo a praia. Não tendo a praia, tem o campo e muitas actividades para oferecer (veja aqui), desde trekking, visita a campos de elefantes e santuários de tigres, desportos motorizados, escalada, templos, tribos, rafting, grutas, montanhas, cascatas e muito mais. Claro que devido a tudo isto é ligeiramente mais cara do que Bangkok. Se puder fique entre 3 a 4 dias pois há muito para fazer.
Não aconselho a visita ao Tiger Temple pois ouvi dizer que os tigres são drogados para lhes podermos tocar. 

Logo no primeiro dia fomos visitar os templos que ficam bem perto. É melhor escolher os melhores, pois existem mais de.., 400! A bem dizer, depois de visitar os primeiros 3 os resto é tudo igual.

À noite visitámos o famoso "night bazar" onde comprei umas havaianas falsificadas que custaram 4 euros e ainda duram!

27 de Novembro de 2012 
Dia 5, Chiang Mai

Neste dia comprámos uma excursão que incluía várias actividades. Sai muito mais barato comprar numa guest house do que pela internet, e há sempre alguma companhia disponível.
Em primeiro lugar visitámos uma quinta de orquídeas e borboletas, que é um lugar muito bom para tirar fotos. No final fiquei com a sensação que havia mais japoneses do que borboletas e orquídeas.., mas isso se calhar foi só o meu ponto de vista!
Depois seguimos para as montanhas onde visitámos uma aldeia (tipo zoo) com 7 tribos locais e a tribo "Karen Long Neck" de Mianmar, ou mulheres girafa como lhes chamamos. (veja aqui Ao Pormenor: a aldeia das mulheres girafa).


Depois de satisfeita a nossa curiosidade, proseguimos para um campo de elefantes onde conhecémos um pouco da história do campo. Depois do almoço fomos passear de elefante pela floresta. O almoço foi um pedaço de tofú empestado de caril e outras especiarias intragáveis. Ainda pude ver os elefantes a tomar banho e tive a oportunidade de alimentá-los com bambú. O "manhut", assim se chama a pessoa responsável pelo elefante, foi muito simpático tendo tirado várias fotos e ainda me deixou sentar no pescoço no elefante.


 

Depois foi a vez do trekking. Esta parte foi uma desilusão para mim, pois pretendia uma experiência autêntica e não um momento "para inglês ver"! Não passou de um pequeno passeio de 2 km por estrada batida acabando numa cascata que foi a melhor parte. O meu conselho para quem quer um bom trekking na floresta é procurar no site que referi à pouco e reservar com antecedência, certificando-se de que se trata de uma experiência autêntica e não para turismo de massas. Faça o que eu tinha programado e tire um dia ou 2 só para o trekking. Existem pacotes de trekking de 1 dia e de 2 ou mais dias, sendo que estes incluem uma noite passada numa das tribos locais.

Depois da desilusão veio um agradável passeio de jangada pelo rio de cerca de 1 hora ou mais. É uma experiência relaxante e podemos admirar a paisagem local e os costumes das pessoas, para além de apreciar a flora e a fauna locais.


À noite aproveitamos para apreciar a gastronomia local nos vários mercados de comida enquanto assistiamos aos preparativos para o festival Ypeng e algumas pequenas actividades que já decorriam.


28 de Novembro de 2012 
Dia 6, Chiang Mai

Neste dia alugámos uma scooter por uns incríveis 5 euros por dia! E enchemos o depósito com 80 THB, qualquer coisa como 1, 70€!
Na parte da manhã subimos à montanha mais famosa lá das redondezas, a Doi Suthep Mountain" onde visitámos uma bonita cascata, o Palácio Real Phuping, e por fim o templo budista Wat Phra That Doi Suthep.


Durante a tarde aproveitámos para conhecer o resto da cidade e tentar queimar o resto do combustível. É uma boa experiência o passeio de scooter pela cidade. Aqui é o meio de transporte eleito pelos habitantes que parecem gozar de uma boa qualidade de vida ao contrário do resto do país. No entanto o trânsito é intenso! Tenha cuidado!

À noite tivémos o momento mais aguardado em Chiang Mai, o festival Ypeng! Assístimos a várias paradas pela zona ribeirinha e outras actividades que decorreram toda a noite. O lançamento de lanternas voadoras decorreu sempre ao longos dos dias que lá tivémos, mas nessa noite foi muito intenso, entre foguetes e fogo de artifício. As pessoas parecem loucas nesta espécie de carnaval. Assisti também à bonita tradição de lançar barquinhos ao rio, feitos de bambu, velas e flores carregando um desejo com ele.
Muito bonito mesmo e vale a pena a viagem.




29 de Novembro de 2012 
Dia 7, Chiang Mai/ "comboio das trevas"

No último dia decidimos apenas descansar um pouco e e passear tranquilamente pela cidade já em geito de despedida pois às 17h já estaríamos de partida


Quando comprei os bilhetes de comboio pela internet só estava disponível a 3ª classe. As instalações são do pior que existe pelo mundo. Carruagens muito velhas, falta de ar condicionado e sujidade de tirar à espátula. Dentro do comboio estava um calor infernal e as poucas ventoinhas que existiam pouco ajudavam. Dormimos com as janelas abertas toda a noite o que me valeu uma valente constipação.

Conclusão: Fuja da 3ª classe tal e qual como o diabo foge da cruz!


30 de Novembro de 2012 
Dia 8,Ayuthaya/ Bangkok /Phuket

Chegámos a Ayuthaya, antiga capital do então reino de Sião. Cidade onde os portugueses chegaram em 1511, tendo iniciado contactos comerciais com o Sião e onde estabeleu uma pequena colónia.
Chegámos com quase 4 horas de atraso!! Neste caso acabou por não ser decisivo, já que a hora prevista de chegada era às 6 horas da manhã e nessa hora nada há a fazer.
Mais um ataque na chegada à estação! Evite os taxistas, nem lhes dê conversa. Faça como eu e atravesse a estação, logo do outro lado jás nas margens do rio Chao Phraya, encontrará um pequeno porto onde se pode apanhar um barco para o outro lado do rio por apenas 30 THB. Mais uma vez se pode poupar muito dinheiro nesta pequena visita. Munido de um mapa da zona basta alugar uma bicicleta e percorrer a cidade e visitar os templos principais. Não se esqueça do chapéu e de protector solar!

A cidade até tem o seu encanto e vale pelos templos mas o ambiente é pestilento, o ar é quase irrespirável!
Em primeiro lugar visitámos o templo mais famoso, o "Watchatanaram", cuja construção foi inspirada no famoso templo de "Angkor Wat" no Camboja. Depois de visitar outros templos mais modernos, chegámos a um templo muito famoso onde podemos encontrar uma cabeça de buda entrelaçada nas raízes de uma árvore.
Visitámos também o mercado local onde assistimos a algumas peripécias!



Mais tarde estávamos de volta à estação prontos para voltar a Bangkok onde entrámos noutro comboio que nos levou ao aeroporto doméstico "Mueang", onde algumas horas mais tarde embarcámos com destino a Phuket.
Em Phuket comprámos um bilhete de mini bus por apenas 150 THB até à praia famosa de Patong. Seguiu-se uma noite ótima para visitar a praia e os bares da Bangla Road onde se pode ver de tudo, desde striptease, sexo ao vivo ao famoso jogo de ping pong que as meninas fazem com.., a vagina!! 


1 de Dezembro de 2012 
Dia 9, Phuket

Neste dia limitamo-nos a aproveitar a praia e a conhecer a cidade. À noite, e acredite quem quiser, vimos o Van Damme acompanhado por uma bonita asiática e um guia, a tentar passar despercebido, sorrateiramente pela Bangla Road. Tinha óculos escuros e um chapéu, mas a sua figura inconfundível chamou-me a atenção. Infelizmente ele fugiu a tempo e nem uma foto lhe consegui roubar.


2 de Dezembro de 2012 
Dia 10, Phuket

Mais praia, mais compras e mais bares...



3 de Dezembro de 2012 
Dia 11,phuket/ Phi Phi

Neste dia era suposto vir alguém nos buscar e levar ao porto de Phuket para embarcarmos para Phi Phi, mas tal não aconteceu. Foram bilhetes que reservei na net e que apenas pagaria no local. Por isso desconfiem sempre deste tipo de negócio, pois mais vale percorrer a área e comprar os bilhetes de ferrie numa das agências locais.
Por volta das 14 h apanhámos o ferrie e 1,30h chegávamos ao paraíso, as ilhas Phi Phi!


No primeiro dia em Phi Phi estava programada uma excursão à ilha Phi Phi Ley onde o filme a praia foi rodado. Era suposto pernoitar num acampamento nessa ilha mas infelizmente essa excursão havia sido cancelada dias antes. A alternativa passou por uma visita normal sem acampamento que incluía a possibilidade de nadar com o plâncton.(reserve aqui a sua escursão) Mas isso ficou adiado para outro dia.
O impacto à chegada foi bastante positivo e superou completamente todas as minhas espectativas, o que nem sempre acontece. Verdadeiro pedaço de paraíso.
Nessa noite tivémos de procurar alojamento devido à mudança de planos e com sorte encontrámos um simpático bungalow por 800 THB (20€) à noite. Aqui é tudo muito mais caro, desde o alojamento à alimentação, entre outras coisas, mas ainda assim barato.



Convém salientar que não deve ir para as ilhas Phi Phi sem ter reservado a sua estadia anteriormente, principalmente na época alta.

À noite vistámos os bares no outro lado da ilha, famosos pelos espectáculos de fogo. O ambiente é fantástico! Na ilha não existe trânsito, o máximo que vi foram umas scooter mais para o interior da ilha, o que é muito bom. Andei descalço o tempo pois o sentimento de liberdade era imenso!

4 de Dezembro de 2012 
Dia 12, Phi Phi

Na parte da manhã relaxámos na praia e depois por volta do meio dia foi hora de apanhar o "longo tail" (tradicional barco tailandês) para o "Viking Nature Resort", que havia reservado na internet.
O resort também superou as minhas espectativas e graças a Deus! Armoniosamente localizado numa zona calma de floresta à beira-mar, este resort proporcionou tudo aquilo que procurava, ou seja, sol, águas quentes, paz e sossego a uma curta distância do centro da ilha. É como uma aldeia de bungalows, com praias privadas, espreguiçadeiras na praia, vistas soberbas...
O nosso bungalow era muito bonito e confortável e com casa de banho privativa. Tinha ainda uma varanda com uma rede de descanso.
Este é um resort para quem ama a natureza. É bonito, confortável mas muito simples, nada de luxos!
À tarde aproveitamos o magnífico resort e suas praias, e à noite a gastronomia e os bares locais. É um óptimo local para comer marisco e peixe a preços inacreditáveis. É pena é não terem geito nenhum para a cozinha! É aliás um dos únicos defeitos que apontei nestas férias, a comida.


5 de Dezembro de 2012 
Dia 13, Phi Phi

Um pouco mais do mesmo...


6 de Dezembro de 2012 
Dia 14, Phi Phi/ Maya Bay

Neste dia fizémos então a tal excursão à famosa Maya Bay na ilha Phi Phi Ley. Maya bay ficou imortalizada no filme "A Praia" de Danny Boyle com Leonardo di' Caprio e Tilda Swinton.
Na excursão conhecémos um grupo de pessoas bem porreiras com quem fizémos amizade. Divertimon-nos bastante a fazer snorkel, visitámos a praia dos macacos, uma caverna viking, contornando a ilha toda até chegar à famosa baía. Depois de visitar a praia que é realmente muito bonita, que normalmente está cheia de turistas mas a esta hora já bastante calma, voltámos ao barco e apreciámos o pôr do sol à entrada da baía. Depois do jantar, um bom peixe assado, fomos nadar com o plâncton fluorescente. O plâncton reage ao agitar das águas e produz luz visível na escuridão! É de facto uma experiência única!
À noite noite reencontrámos o nosso grupo de amigos e divertimon-nos até demais na noite de PHi PHi. Destaque para a famosa bebida do local, que é uma espécie de pequeno balde que leva umas 3 doses de álcool e refrigerante por cerca de 200 THB mas consegui comprar por 150 THB (3,80 €!!! fora dos bares. Chama-se Bucket e resumindo a história.., fica-se praticamente bêbado por 4€!


Dias 15, 16, Phi Phi

Muita praia e um agradável passeio ao ponto mais alto da ilha "Point View" onde se pode apreciar toda a extensão da ilha. E ainda um passeio de caiaque pela costa.
Muito descanso e muita diversão!


9 de Dezembro de 2012 
Dia 17, Phi Phi/ Phuket/ Bangkok/ Istambul/ Lisboa

Este foi o dia mais cansativo e triste de todos. Fizemos uma longa viagem de regresso a casa. Apanhámos um long tail do resort para o porto da ilha onde entrámos no ferrie para Phuket (2 horas). Depois foi a vez do minu-bus para o aeroporto (1 hora). Seguiu-se o voo para Bangkok (1.30h). Já no aeroporto doméstico apanhámos o shuttle para o aeroporto internacional (1 hora). Várias horas depois entrávamos no voo para Istambul (10 horas! HELP!). Em Istambul aguardámos umas simpáticas.., 5 horas! O voo de ligação a Lisboa durou mais 5 horas. Em Lisboa aguardámos mais 5 horas pelo comboio para o algarve que demorou 3 horas a lá chegar.

De facto eu nem queria regressar a Portugal! Se fosse hoje, prolongava a viagem por, pelo menos, um mês ou ficava lá! É um paraíso que ninguém quer deixar, mais agora com a depressão que vai neste país.
Mas enfim, foram umas férias inesquecíveis.




Ficha técnica

Data da viagem: 23/11/2012- 09/12/2012
Agência de Viagens: N/A, por conta própria

Orçamento: aprox. 1200 euros por pessoa


Voos:
Turkish Airlines (na ligação: Lisboa/ Istambul/ Bangkok )
Site: edreams.pt (compre directamente no site da Turkish, poupa cerca de 30 euros)
Valores: aprox. 580/600€ ida e volta 

Air Asia (nas ligações: Bangkok/ Phuket/ Bangkok )
Site: Airasia.com
Valores: aprox. 100€ ida e volta 

Ligações:
Aeroporto Suvarnabhumi - centro Bangkok: cerca de 400 THB (10 euros 2 pax)
Centro Bangkok - estação Hualamphong: autocarro 53, 3 THB
Estação Chiang Mai - hotel: grátis, à volta paga-se 50THB
Bangkok (hualamphong) - aeroporto Don Muang: de comboio, cerca de 60 THB
Aeroporto de Phuket - Patong: 150 THB mini bus/ 600 THB táxi
Patong/ porto de Phuket/ aeroporto: 300 THB ida e volta
Aeroporto Don Muang - Suvarnabhumi: grátis

Bilhetes de comboio:
Bangkok/ Chiang Mai: 880 THB ida e volta
Mais info em: http://www.seat61.com/ ou www.thairailticket.com

Ferrie em Phuket:
Comprei no local, é mais barato: 440 THB por pessoa, ida e volta
Mais info em:
www.phuketferry.com/Online-Booking

Aluguer da scooter em Chiang Mai:
50 THB, no local




Excursões:
A maior parte comprei no local pois são mais baratas
Mais info em: www.travelhubthailandtours.com/  
Hotéis:

Bangkok:
D&D Inn ***
61-70 Khaosan Road, Pranakorn, 10200 Banguecoquewww.booking.com/D&D-Inn

Pontuação na Booking: 6.9
A minha classificaçao: 5
Localização
wireless grátis
Cama desconfortável
Muito barulho

Cerca de 23 € por noite por um quarto duplo standard
Não será muito fácil encontrar mais barato e melhor!

Chiang Mai
Junior House  
21 Soi 1, Ratchapakinai Road, T.Sripoom, A.Muang, 50200 Chiang Maiwww.booking.com/Junior-House

Pontuação na Booking: 8.2
A minha classificaçao: 6
Staff simpático
Quarto razoável
Boa localização
ar condicionado 
Não fazem limpeza se não lhes for pedido

Cerca de 20 € para duplo com AC e 10€ para duplo com ventoinha

Phuket
Baan Nitra Guesthouse
Patong Beach
Phuket, 83150, Thailand

Pontuação na Booking: 7.1
A minha classificaçao: 4
Localização
Preço

ar condicionado 
Não fazem limpeza se não lhes for pedido
Cheiro a mofo nos quartos
Mau isolamento nas janelas
Barulho 

Cerca de 15 € para duplo com AC e 10€ para duplo com ventoinha
Phi Phi
Viking Nature Resort  
Phi Phi Island Mostrar mapa

O Viking Nature Resort fica a uma caminhada de 5 minutos da Praia Phi Phi e do Cais Ton Sai.

www.booking.com/Viking-Nature-Resort

Pontuação na Booking: 7.3
A minha classificaçao: 8
Localização

Envolvência
Conceito 
Pequeno almoço delicioso e incluído
Internet
Não fazem limpeza se não lhes for pedido
Só proporcionam serviço taxi boat grátis no primeiro dia
Preço

Cerca de 30 € por um bungalow duplo tradicional e 38 por um duplo standard
Porém na época alta os preços são bem mais elevados. Paguei cerca de 50 euros noite 

Visitando:
Bangkok e seus templos
Mercado flutuante em Damnoen Saduak
Chiang Mai:
  • trekking;
  • campo de elefantes;
  • quinta de orquídeas;
  • rafting;
  • aldeia das 7 tribos
  • templos
  • Doi Suthep Moutain
  • Ypeng Festival  
Ayuthaya e seus templos
Phuket
Phi Phi:
  • Maya Bay



Reacções:

1 comentários:

ebrexock disse...

Gostava do seu mail ! Planeio uma viagem dessas para próximo verão ! Ebrexock@gmail.com